Notícias

29/10/2019

Este ranking classifica a riqueza de qualquer pessoa no mundo (incluindo a sua)

Este ranking classifica a riqueza de qualquer pessoa no mundo (incluindo a sua)

A Bloomberg criou um ranking de classificação de riqueza que pode ser usado para avaliar o quão rico - ou não - é qualquer pessoa. O ranking vai de mais pobre (-2) ao mais rico (+11). De acordo com a classificação, mais de 1,5 bilhão de pessoas no mundo possuem patrimônio abaixo de US$ 100 mil. Enquanto há cerca de 40 milhões de milionários e bilionários no mundo. Jeff Bezos e Bill Gates são os únicos do mundo, segundo a Bloomberg, na categoria com patrimônio de US$ 100 bilhões.

Para a visualização do ranking, a Bloomberg construiu uma tabela onde - na teoria - é possível classificar qualquer pessoa. A população mais pobre da tabela é classificada como "agricultores de subsistência que podem pagar muito pouco”. Em seguida, é possível ver as categorias mais populosas do mundo como "americano médio" e “uma família americana média chefiada por alguém que não tem formação superior". Como informa a tabela, as categorias mais populosas conseguem cobrir as despesas de uma emergência sem pedir crédito a bancos.

Jeff Bezos e Bill Gates ocupam a categoria mais alta da tabela, com patrimônio avaliado em US$ 100 bilhões. Já Elon Musk aparece abaixo, com US$ 10 bilhões, mesma categoria que estaria Mark Zuckerberg, por exemplo. Vale ressaltar, entretanto, que a quantidade de pessoas em cada categoria é somente uma estimativa feita pela Bloomberg.

"Os números do poder de compra também devem ser ilustrativos, e não dados concretos", assinam Peter Coy e Tom Maloney da Bloomberg. "Por exemplo, dizemos que um 4 pode comprar um carro novo. A questão não é que os carros novos custem entre US $ 10.000 e US $ 99.999 (embora essa seja a ordem correta de magnitude). É provável que você precise ser um 4 para comprar um carro novo. Embora, é claro, existam 1s, 2s e 3s que esticarão para comprar um. É um pouco espantoso que as disparidades de riqueza tenham se tornado tão grandes que precisamos de logaritmos para descrevê-las. Mas esse é o mundo em que vivemos", concluem. 





FONTE: itmidia COM HC3 TELECOM